Open Access
Issue
SHS Web Conf.
Volume 63, 2019
Modernism, Modernisation and the Rural Landscape, Proceedings of the MODSCAPES_conference2018 & Baltic Landscape Forum
Article Number 07002
Number of page(s) 11
Section Mapping Modernist Rural Landscapes: Shifting Used and Patterns
DOI https://doi.org/10.1051/shsconf/20196307002
Published online 15 April 2019
  1. AMARAL, L. 1994. “Portugal e o passado: política agrária, grupos de pressão e evolução da agricultura portuguesa durante o Estado Novo (1950-1973)”. Análise Social, vol. 19, n° 128: 889-906. Retrieved from: http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223377900O7jBJ3zl9Px04XU4.pdf[available on 16 January 2019]. [Google Scholar]
  2. BAPTISTA, F. O. 1993. A política agrária do Estado Novo, Porto, Edições Afrontamento. [Google Scholar]
  3. FREIRE, D. 2014. “Entre sequeiro e regadio. Políticas públicas e modernização da agricultura em Portugal (século XX)”, In XIV Congreso de Historia Agraria(Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales, Badajoz: 7-9 November2013), Badajoz, Universidad Badajoz / SEHA – Sociedad Española de Historia Agraria, p. 1-14. DOI: https://doi.org/10451/17717 [Google Scholar]
  4. FREIRE, D. 2011. “Ensayos de ingeniería social: reforma agraria y modernización de la agricultura en las últimas décadas de Estado Novo (1954-1974)”. In D. Lañero, D. Freire (eds) Agriculturas e Innovación Tecnológica en la Península Ibérica (1946-1975), Madrid, Ministerio de Medio Ambiente y Rural. [Google Scholar]
  5. JUNTA DE COLONIZAÇÃO INTERNA 1939. Reconhecimento dos baldios do continente – volume I, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  6. JUNTA DE COLONIZAÇÃO INTERNA 1941. Plano geral de aproveitamento dos baldios reservados – Volume I, II, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  7. JUNTA DE COLONIZAÇÃO INTERNA 1946. Projecto de colonização do Núcleo da Boalhosa, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  8. JUNTA DE COLONIZAÇÃO INTERNA 1951. Projecto de Colonização do Núcleo da Boalhosa, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  9. GIRÃO, A. 1941. Geografia de Portugal, Porto, Portucalense Editora. [Google Scholar]
  10. LOBO, V.; ANTUNES, A. 1960. Problemas Actuais da Pequena Habitação Rural, Coimbra, Ministério das Obras Públicas. Direcção Geral dos Serviços de Urbanização. Centro de Estudos de Urbanismo. [Google Scholar]
  11. JUNTA DE COLONIZAÇÃO INTERNA 1944. Projecto de colonização dos baldiosde Montalegre e Boticas: I Parte – freguesia de Chã, Lisbon, Junta de Colonização Interna: 58. [Google Scholar]
  12. FERNANDES, J. M. 2003. Português suave. Arquitecturas do Estado Novo, Lisbon, Instituto Português do Património Arquitectónico. [Google Scholar]
  13. RAMOS, R. J. G. 2005. “Produções correntes em arquitectura: a porta para uma diferente gramática do projecto do início do século XX”, NW noroeste. Revista de História, n° 1: 53-80. [Google Scholar]
  14. RAPAZOTE, J. 2012. “ ‘Aldeias-Jardim’ no concelho de Montalegre – O projecto da JCI para os baldios do Barroso”, GOT – Revista de Geografia e Ordenamento do Território, n° 1, Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território, p. 207-236. DOI: https://doi.org/10.17127/got/2012.1.010 [Google Scholar]
  15. GUERREIRO, F. 2015. Colónias Agrícolas Portuguesas construídas pela Junta de Colonização Interna entre 1936 e 1960. A casa, o assentamento, o território, PhD dissertation, Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, Porto. [Google Scholar]
  16. CARVALHO JUNIOR, J. 1956. Relatório da actividade desenvolvida na colónia agrícola da Boalhosa (Núcleo de Vascões) no ano de 1955 e plano dos trabalhosa realizar no ano de 1956, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  17. AFONSO, M. S.; CAMPELLO, A.; MARTINS, J. B. et al. 1964. Revisão do plano de colonização do Centro da Boalhosa: ano de 1964, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  18. JUNTA DE COLONIZAÇÃO INTERNA 1961. Colónia Agrícola da Boalhosa.Estudo Agrológico. Núcleos de Vascões e Lameira do Real, Lisbon, Junta de Colonização Interna. [Google Scholar]
  19. COUNCIL OF EUROPE 2000. European Landscape Convention, Florence, 20.X.2000. [Google Scholar]
  20. BELL, S. 2012. Landscape: pattern, perception and process (2nd Edition), Abingdon, Routledge. DOI: https://doi.org/10.4324/9780203120088 [CrossRef] [Google Scholar]
  21. CAMARA MUNICIPAL DE PAREDES DE COURA -CMPC 2017. Plano da Paisagem das Terras de Coura, (Relatório de Análise Paisagística. 2ª Fase -Identificação das Subunidades Paisagísticas), Paredes de Coura, CMPC. [Google Scholar]
  22. DIRECÇÃO-GERAL DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO URBANO (DGOTDU) 2011. “A Paisagem na Revisão dosPDM – Orientações para a Implementação da Convenção Europeia da Paisagemno Âmbito Municipal”. DGOTDU, Lisbon. [Google Scholar]
  23. DIRECÇÃO-GERAL DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO URBANO (DGOTDU) 2004. “Contributos para a Identificação e Caractrização da Paisagem em Portugal Continental”, Volume I, II,III, IV e V, Coleção Estudos 10, DGOTDU, Lisbon. [Google Scholar]
  24. PINTO-CORREIA, T.; CANCELA ABREU, A.; OLIVEIRA, R. 2001. “Identificação de unidades de paisagem: Metodologia aplicada a Portugal Continental”, Finisterra, vol. 36, n° 72: 195-206. DOI: https://doi.org/10.18055/Finis1634 [Google Scholar]
  25. DE GROOT, R. 2005. “Functions-analysis and valuation as a tool to assess land use conflicts in planning for sustainable multi-functional landscapes”, Landscape and Urban Planning, vol. 75, n° 3-4: 175-186. DOI: https://doi.org/10.1016/j.landurbplan.2005.02.016 [CrossRef] [Google Scholar]
  26. GREGORY, I. N., & ELL, P. S. 2007. Historical GIS: technologies, methodologies, and scholarship, New York, Cambridge University Press. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511493645 [CrossRef] [Google Scholar]
  27. ERENA 2008. Plano de Ordenamento e Gestão da Paisagem Protegida de Corno do Bico. 1ª Fase – Caracterização. Parte 1 Estudos de Base, Lisbon, Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade. [Google Scholar]

Current usage metrics show cumulative count of Article Views (full-text article views including HTML views, PDF and ePub downloads, according to the available data) and Abstracts Views on Vision4Press platform.

Data correspond to usage on the plateform after 2015. The current usage metrics is available 48-96 hours after online publication and is updated daily on week days.

Initial download of the metrics may take a while.